Relatos de assaltos e furtos aumentam expressivamente em Itabuna nos últimos dias

0
3511

Os índices de assaltos à mão armada e furtos de veículos, em Itabuna, aumentaram significativamente, ao menos, de acordo com os relatos e pedidos de ajuda em divulgação que chegam à nossa redação.

Muitas têm sido as notícias veiculadas por blogs e emissoras de rádio, especialmente, que relatam a ação criminosa de bandidos, em sua maioria, ligados ao crime organizado.

Apenas nesta quinta feira (22), os criminosos promoveram o terror em diversos pontos da cidade. Logo pela manhã, uma farmácia foi assaltada na rua Saturnino José Soares, nas imediações da Padaria Paulista, no bairro de Fátima. O criminoso anunciou o assalto, e subtraiu do estabelecimento, determinada quantia em dinheiro, fugindo em seguida.

Quanto aos veículos, há relatos de, ao menos cinco motos tomadas de assalto ou furtadas, apenas nesta quinta-feira, no Centro Comercial, no Santo Antônio, no Jardim Vitória e em outras localidades.

Também houve um assalto no bairro Castália em que uma dupla rouba um carro de entrega de botijão de gás de cozinha. Nesse caso, a Guarda Civil Municipal, felizmente, conseguiu recuperar o automóvel poucas horas após o crime.

Dona Rita Lacerda é uma senhora de 62 anos, aposentada, moradora do bairro Conceição, e compartilhou seu receio com a equipe de reportagem do Verdinho Itabuna. “Sabemos que vamos sair de casa, mas não sabemos se voltaremos. A bandidagem em Itabuna age com frieza e ousadia, eles ficam soltos pela rua, e a gente que é do bem, fica preso dentro de casa, sem poder sair pra não ser assaltado. Outro dia precisei de medicamento, tenho meu carro, eram 19h, mas fiquei com medo de ir na farmácia no Centro da cidade. Preferi comprar no outro dia, mas sofri de enxaqueca à noite”, relata.

Já o Gerente Administrativo Marcelo Carvalhais, 35 anos, morador da Vila Zara, relembra que nos seus tempos de infância as ruas eram mais movimentadas. “Me lembro que as crianças ficavam brincando, as pessoas estavam sempre transitando à vontade. Hoje em dia, as ruas são desertas, dá medo da gente ir na casa do vizinho, até. A gente se prende, os bandidos ficam soltos, e a terra é de ninguém”, comentou.

A sociedade, as pessoas de bem, pedem as autoridades ações mais eficazes no combate ao crime organizado. Em vários pontos do município, os moradores sentem-se amedrontados até mesmo para sair na rua, para atividades cotidianas, como ir ao mercado, farmácia ou padaria, por exemplo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui